Foto: Red Bull Pool Content

‘Em casa’, brasileira busca tricampeonato mundial de kitesurf e marca histórica no esporte

Um dos grandes sonhos de todos os atletas é o de alcançar o lugar mais alto do pódio em seu esporte. E se for dentro de casa, isso se torna ainda mais especial. Essa sensação pode ser vivida pela paulista Bruna Kajiya na disputa do Superkite Brasil, a última etapa do Mundial de Kitesurf. A partir desta terça-feira (5), os melhores kitesurfistas do mundo encaram os ventos fortes e as águas mornas da praia de Cumbuco (CE), um dos paraísos brasileiros, em busca do título da competição.

Com 3.000 pontos, Bruna lidera a categoria feminina, seguida por Annabel van Westerop, de Aruba, com 2.520 pontos, e pela italiana Francesca Bagnoli, com 2.390. Para ficar com o título, a brasileira precisa terminar entre as oito melhores competidoras. De olho no tricampeonato, a kitesurfista destaca o apoio da torcida nesta última etapa.

– Tem um sabor especial disputar a final aqui. Pra mim, competir no meu País sempre foi um sonho. Há anos que a gente não tem uma etapa do Mundial. E é superespecial poder defender este título dentro de casa e trazer o título mundial para o Brasil, no Brasil. Não tem coisa melhor. Eu tenho muitos amigos por aqui em Cumbuco e me sinto muito em casa. Então, eu sei que vou ter uma torcida muito grande – comenta Kajiya.

Nos últimos dias, Bruna repassou todas as manobras que pretende realizar na bateria, além de tentar algumas novas. Empolgada, a brasileira mantém os pés na areia devido ao alto nível das suas adversárias. Enquanto Annabel presa para constância, a italiana Francesca aproveita para dar mais potência nas suas manobras.

Caso conquiste o tricampeonato mundial após as cinco etapas do ano (França, Holanda, Turquia, Egito e Brasil), Bruna se tornará a segunda maior vencedora isolada na história da competição. Atualmente, está empatada com Cindy Mosey (2002 e 2003), Kristin Boese (2005 e 2006) e Karolina Winkowska (2012 e 2014), ficando atrás somente da lenda e hexacampeã Gisela Pulido (2007, 08, 10, 11, 13 e 15).

– Eu fico super-honrada em fazer algo tão grande, tão bonito, dentro do esporte que eu amo tanto. Minha vida é isso. Então, para mim é uma honra poder fazer parte da história do meu esporte – completa.

Na categoria masculina, o Brasil tem grandes chances de fazer a dobradinha. Carlos ‘Bebê’ Mário é o líder, com 2.538 pontos. Atrás, aparecem o espanhol Liam Whaley (2.368) e o também brasileiro Set Teixeira (2.078).

O Superkite Brasil, última etapa do Mundial de Kitesurf, acontecerá de 5 a 10 de dezembro, na praia de Cumbuco (CE), localizada a 40 km de distância da capital Fortaleza. Além da adrenalina da competição, o público terá atividades socioculturais à disposição. O evento terá transmissão ao vivo pela página da WKL no Facebook ou no site www.worldkiteboardingleague.com

Também pode ser de seu interesse
ELEV é o lançamento do ano no Carrinho AGAS
Coca-Cola Brasil apresenta inovações em nova campanha institucional
Brasileiros acreditam que as empresas fabricantes devem ser as responsáveis pelas informações nutricionais nos rótulos, diz pesquisa
Poty apoia atleta em maratona no deserto do Sahara, na África