Bebidas não alcoólicas devem ganhar novos sabores

A indústria brasileira de refrigerantes e bebidas não alcoólicas tem como expectativa para o ano de 2018 a entrada de dezenas de frutas brasileiras e europeias para o cardápio de matérias-primas na produção de bebidas no país. Espera-se que frutas brasileiras como, por exemplo, jenipapo, tamarindo, umbu e carambola preencham as prateleiras dos mercados nos próximos anos.

O trabalho para a inclusão dos novos sucos, polpas de frutas e de vegetais vem sendo feito pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), em diálogo com o setor. No segundo semestre de 2017, a ABIR participou de consultas e audiências públicas para a revisão das normas presentes na Instrução Normativa MAPA 01/2000, que padroniza as polpas e sucos que podem ser utilizadas na produção de bebidas no Brasil.

As mudanças devem ser publicadas ainda em 2018 e, para o diretor técnico da ABIR, Igor Castro, a novidade é importante para o setor. “Vai ser aberto um vasto leque de novas opções para a indústria. Teremos muitas possibilidades de criação de novos produtos aqui no Brasil”, afirma. De acordo com o diretor, a mudança incentiva a agricultura e também é positiva para os consumidores. “Quando se coloca uma fruta dentre os ingredientes, temos componentes interessantes como fibras, proteínas e aminoácidos que contribuem para a saúde humana”, destaca.

Também pode ser de seu interesse
ABIR participa da construção da Agenda Legislativa da CNI
Indústria de bebidas não alcoólicas participa do 8º Fórum Mundial da Água
Coca-Cola FEMSA Brasil traz de volta ao mercado Coca-Cola Light
Parceria entre NAR e GATORADE® ajuda na preparação de time de bobsled